Bem-vindo
Bem-vindo

Novo Pluria HTM - Aparelho de Carboxiterapia Percutânea e Transcutânea

  • Código: ME07717A
  • Marca: HTM
  • Disponibilidade: Sob-encomenda
  • Descrição: O Novo Pluria é um equipamento de Carboxiterapia com tecnologia inovadora e o novo sistema inteligente de Carboxiterapia Percutânea e Transcutânea. O que era bom ficou ainda melhor, o Novo Pluria possui Sistema Carbo Cupping, exclusivo para carboxiterapia não invasiva, onde utiliza-se ventosas de vidro associada aos efeitos do CO2, otimizando os resultados terapêuticos. Design clean e moderno, totalmente microcontrolado com controles de parâmetros digitais de fácil manuseio e programação. Apresenta sistema conforto e aquecimento progressivo do gás. Conta ainda com os protocolos pré-programados em display gráfico "Chip on Glass", teclas soft touch e saídas frontais de fácil aceso. O Novo Pluria, conta com 30 protocolos pré-programados e disponibiliza a possibilidade de salvar protocolos personalizados, o que facilita e otimiza o tempo do profissional no momento do atendimento ao seu cliente, podendo deixar seus atendimentos ainda mais personalizados. O equipamento Novo Pluria da HTM conta com tecla DRAIN, que permite que o usuário realize ciclo de drenagem do sistema ou equipo sem necessidade de reiniciar o equipamento. A HTM pensando no melhor para seus clientes melhorou o que já era bom, com o "Sistema Conforto", protocolo que administra a entrega do gás de modo lento e crescente, até atingir o volume desejado, maximizando o conforto do paciente na terapia, tudo isso com a facilidade e comodidade de acionamento do gás via tecla ou pedal, facilitando o manuseio. Possui sistema de autocontrole de fluxo de CO2 em tempo real que, independente da resistência oferecida pela pele no momento da infusão do gás, garante a entrega efetiva do volume desejado. Acompanha carrinho com rodízios para acomodar o cilindro de CO2 e facilitar a locomoção e estabilização.
  • ...Veja mais informações
  • R$ 7.990,00
    em até 12x R$ 665,83 s/ juros
  • R$ 7.590,50- (5% à vista)
  • Retire este produto na loja
  • Vendido e entregue por ISP Saúde
  • R$ 7.590,50 no boleto bancário5% de desconto
  • R$ 7.590,50 em 1x no cartão5% de descontoMais opções de parcelamento

Descrição do Produto

O Novo Pluria é um equipamento de Carboxiterapia com tecnologia inovadora e o novo sistema inteligente de Carboxiterapia Percutânea e Transcutânea. O que era bom ficou ainda melhor, o Novo Pluria possui Sistema Carbo Cupping, exclusivo para carboxiterapia não invasiva, onde utiliza-se ventosas de vidro associada aos efeitos do CO2, otimizando os resultados terapêuticos. Design clean e moderno, totalmente microcontrolado com controles de parâmetros digitais de fácil manuseio e programação. Apresenta sistema conforto e aquecimento progressivo do gás. Conta ainda com os protocolos pré-programados em display gráfico "Chip on Glass", teclas soft touch e saídas frontais de fácil aceso. O Novo Pluria, conta com 30 protocolos pré-programados e disponibiliza a possibilidade de salvar protocolos personalizados, o que facilita e otimiza o tempo do profissional no momento do atendimento ao seu cliente, podendo deixar seus atendimentos ainda mais personalizados. O equipamento Novo Pluria da HTM conta com tecla DRAIN, que permite que o usuário realize ciclo de drenagem do sistema ou equipo sem necessidade de reiniciar o equipamento. A HTM pensando no melhor para seus clientes melhorou o que já era bom, com o "Sistema Conforto", protocolo que administra a entrega do gás de modo lento e crescente, até atingir o volume desejado, maximizando o conforto do paciente na terapia, tudo isso com a facilidade e comodidade de acionamento do gás via tecla ou pedal, facilitando o manuseio. Possui sistema de autocontrole de fluxo de CO2 em tempo real que, independente da resistência oferecida pela pele no momento da infusão do gás, garante a entrega efetiva do volume desejado. Acompanha carrinho com rodízios para acomodar o cilindro de CO2 e facilitar a locomoção e estabilização.

Diferenciais e Benefícios

  • Inovação: possibilidade de aplicar a técnica percutânea e transcutânea;
  • Carbo Cupping: ventosas que permitem a aplicação da carboxiterapia transcutânea não invasiva (itens adquiridos separadamente);
  • Gás aquecido: aquecimento progressivo do gás, conforme o fluxo de aplicação, proporcionando maior conforto do início ao fim do tratamento; 
  • Controle de fluxo: fluxo de até 400ml/min regulável, proporcionando agilidade nos tratamentos;
  • Sistema conforto: protocolo que administra a entrega do gás de modo lento e crescente, até atingir o volume desejado, maximizando o conforto do paciente na terapia;
  • Sistema de autocontrole de fluxo: de CO2 em tempo real que, independente da resistência oferecida pela pele no momento da infusão do gás, garante a entrega efetiva do volume desejado;
  • Design: revolucionário, oferecendo à sua clínica um visual estético totalmente diferenciado, teclas soft touch em relevo e display gráfico "Chip on Glass", para operação e visualização dos parâmetros de operação;
  • Tecla DRAIN: permite que o usuário realize ciclo de drenagem do sistema ou equipo sem necessidade de reinício do equipamento;
  • Praticidade: acionamento do gás via tecla ou pedal, facilitando o manuseio;
  • Versátil: permite configuração de idioma (português, inglês e espanhol);
  • Protocolos: 30 protocolos pré-programados e possibilidade de salvar protocolos personalizados;

Indicações

  • Celulite;
  • Estrias;
  • Gordura localizada;
  • Redução de papada;
  • Flacidez cutânea;
  • Rejuvenescimento facial;
  • Rugas e Linhas de expressão;
  • Olheiras;
  • Cicatrizes de acne;
  • Pré e Pós-operatório;
  • Alopecia;
  • Psoríase;
  • Melhora da microcirculação, redução do edema;
  • Melhora a nutrição celular e a eliminação das toxinas.

Efeitos fisiológicos

  • Efeito Bohr
  • Quanto maior a oferta de gás carbônico no tecido, mais hemoglobinas carreadas com o oxigênio (HbO2) vão chegar através da circulação sanguínea, pelo fato da hemoglobina ter maior afinidade com a molécula de CO2, ocorre a liberação da molécula de O2 para os tecidos e captação da molécula de CO2 que será transportada e eliminada pela expiração, isso caracteriza o efeito Bohr. A afinidade da hemoglobina pelo oxigênio depende do pH do meio, a acidez estimula a liberação de oxigênio diminuindo assim esta afinidade. O meio ácido gerado pela carboxiterapia favorece a afinidade da hemoglobina com a molécula de gás carbônico. A presença de níveis mais altos de CO2 (proporcionada pela carboxiterapia) e íons H+ potencializam as reações químicas que ocorrem dentro dos eritrócitos e consequentemente o aporte de O2 tecidual.
  • Ação bioquímica
  • Com a infusão do gás, ocorre uma distensão tecidual e estímulo dos barorreceptores, corpúsculos de Golgi (sensível as baixas pressões) e de Pacini (altas pressões) e, consequente, a liberação de substâncias "algógenas", dentre elas, bradicinina, catecolamina, histamina e serotonina. Estas substâncias atuam em receptores beta-adrenérgicos ativando a adenilciclase e promovendo assim aumento do AMPc tissular e consequente ação final hidrolítica sobre o triglicerídeo do adipócito.
  • Vasodilatação
  • A resposta inflamatória diante de uma “agressão” física é imediata e atua no sentido de destruir, diluir ou bloquear o agente agressor, mas, por sua vez, desencadeia uma série de eventos no tecido conjuntivo vascularizado, entre elas, o aumento da permeabilidade capilar e a quimiotaxia. A presença da histamina gerada pelo aumento de mastócitos na região, propicia uma maior resposta vasomotora devido a sua ação direta no músculo liso e no endotélio da parede vascular. A elevação numérica das plaquetas é responsável pelo aumento de secreção de serotonina que por sua vez estimula a proliferação de pequenos vasos sanguíneos pela ativação das enzimas, óxido nítrico sintase e proteína quinase. O CO2 também estimula a produção das prostaglandinas, potentes vasodilatadores, cuja ação envolve arteríolas pré-capilares, esfíncters pré-capilares e vênulas pós-capilares.
  • Ação no tecido conjuntivo
  • Após a ação mecânica da carboxiterapia, provocada pelo “trauma” da agulha e pela introdução do gás, ocorre a produção de um processo inflamatório e consequente migração de fibroblastos para a região da agressão e sua posterior proliferação estimulando a síntese de colágeno e de outras moléculas do tecido conjuntivo, como a fibronectina, glicoproteína encontrada no sangue, associada a vários processos biológicos como adesão e diferenciação celular, reparação de tecidos, servindo como substrato para enzimas fibrinolíticas e da coagulação.
  • Carbolipólise
  • A ruptura mecânica da membrana adipocitária se realiza em duas etapas. A primeira, mais aguda, denominada efeito trauma, acontece imediatamente à infusão do CO2 , fragilizando a membrana citoplasmática pela intensidade do impacto do gás contra a parede do adipócito. A segunda etapa, mais tardia e prolongada, denomina-se efeito microcavitação, podendo perdurar algumas horas após a aplicação. A diminuição do pH que se instala pela aplicação, dilata os poros da membrana citoplasmática, permitindo a entrada do gás no interior do adipócito. A alta pressão do CO2 no meio extracelular e seu aumento gradual no interior do adipócito, provocam o turbilhonamento do gás, gerando um efeito de microcavitação. A distensão progressiva da membrana citoplasmática, somada ao efeito microcavitatório, leva à sua ruptura. Para ocasionar o efeito trauma e o efeito microcavitação é necessário regular o fluxo de infusão do gás em maior velocidade.

Associações terapêuticas

  • Vibria: possui ultrassom de alta potência, otimiza as funções de lipólise e ativação do sistema linfático, prevenção de complicações como fibroses e aderências teciduais, sistema de correntes excitomotoras, com a opção de realizar terapias combinadas com o Ultrassom ou individuais.
  • Limine: a aplicação da radiofrequência causa vasodilatação, melhorando a circulação sanguínea e linfática, aumenta a síntese de colágeno e elastina, tratando a flacidez tissular, associada a carboxiterapia potencializa o resultado.
  • Terapia Manual: auxilia na ativação de tecido, melhora o aporte sanguíneo ativando a circulação, melhorando força tensiva e flexibilidade.

Protocolos

  • Tratamento de Gordura Localizada
  • Volume por ponto de 80 a 150 ml
  • Fluxo até 80ml/min, (conforme suportabilidade da cliente)
  • Agulha a 45º e 90º graus
  • Cada ciclo: 10 sessões em 02 etapas
  • Ciclo 01 dividido em 02 etapas
  • 01ª Etapa: 04 sessões com intervalos de 24 horas
  • 02ª Etapa: 06 sessões com intervalos de 72 horas
  • Ciclo 02:  após 30 dias repetir ciclo 01
  • Ciclo 03: após 06 meses repetir ciclo 01
  • Tratamento de Rejuvenescimento Facial
  • 01 ou mais ciclos
  • 05 a 10 sessões
  • Intervalos 72 horas
  • Flacidez moderada à severa: 80 a 150 ml/min
  • Flacidez leve: 40 a 60 ml/min
  • Agulha a 25º 
  • Tratamento de olheiras 
  • 2 ou mais ciclos
  • 10 sessões
  • Intervalos 72 horas
  • Repetidos com intervalos de 120 dias
  • Agulha a 25º
  • A sugestão de parâmetros não substitui a avaliação do profissional.

Informações Adicionais

  • A carboxiterapia constitui-se de uma técnica onde utiliza o gás carbônico medicinal (Dióxido de Carbono ou CO2), administrado de forma percutânea (invasivo, com agulha) ao tecido subcutâneo, tendo como objetivo uma vasodilatação periférica e melhora da oxigenação tecidual;
  • O uso terapêutico do CO 2 teve início na década de 1930, na Estação Termal de Royat, na França. Seu uso era feito de forma transcutânea (não invasiva, tópica) através de banhos secos ou submersão em água carbonada para o tratamento de feridas e arteriopatias. Após o desenvolvimento de novas técnicas, a aplicação deixou de ser tópica, passando o CO2 a ser injetado diretamente no tecido subcutâneo, o que garante resultados mais rápidos e melhores. Originou-se assim, o termo carboxiterapia, ou seja, utilização do dióxido de carbono, o CO2, um metabólito normalmente produzido em nosso organismo para fins terapêuticos;
  • A carboxiterapia transcutânea é uma técnica de aplicação de CO2 de forma tópica e não invasiva, sendo utilizadas ventosas de vidro que combinam o uso da pressão negativa (gerada na ventosa por meio de uma seringa) com a administração do gás no interior da ventosa, disponibilizando-o à superfície da pele;
  • As aplicações transcutâneas possibilitam a absorção do CO2 através da pele, isso acontece por conta das capacidades hidrofílicas e de alta lipossolubilidade do gás, que quando em contato com a pele é facilmente absorvido, promovendo seus efeitos fisiológicos principalmente sobre a microcirculação periférica. Além disso, por meio da pressão negativa gerada dentro das ventosas, também é possível considerar os efeitos fisiológicos da vacuoterapia sobre a microcirculação periférica;
  • Atualmente a carboxiterapia caracteriza-se num método de fácil execução e vem sendo empregada na área estética (gordura localizada, celulite, flacidez e estrias) além se ser utilizada como coadjuvante no tratamento de cicatrizes inestésicas, em casos de pós-lipoaspiração, alopecias, olheiras, sequela de queimados etc.

Conservação

  • Para limpar o equipamento e seus acessórios, utilize um pano seco;
  • Não armazene o equipamento em locais úmidos ou sujeitos a condensação;
  • Não armazene o equipamento em ambiente com temperatura superior a 60ºC ou inferior a -20ºC;
  • Não exponha o equipamento direto aos raios de sol, chuva ou umidade excessiva;
  • Se houver necessidade de transportar o equipamento, utilize o mesmo processo de embalagem utilizado pela HTM Eletrônica. Procedendo desta forma, você estará garantindo a integridade do equipamento.

Contraindicações

  • Gestantes;
  • Insuficiência cardíaca ou insuficiência respiratória;
  • Insuficiência renal e hepática;
  • Diabéticos;
  • Problemas psicológicos;
  • Epiléticos;
  • Hipertensos descompensados;
  • Lúpus eritematoso sistêmico;
  • Pacientes imunodepressivos;
  • Anemia grave;
  • Tromboflebite aguda;
  • Distúrbios da coagulação;
  • Doenças do colágeno;
  • Circulação local aumentada anormalmente;
  • Rosácea facial;
  • Doenças infecciosas (bacterianas, virais, fúngicas);
  • Uso de medicamentos diuréticos, betabloqueadores, anticoagulantes e hipotensores neoplasia local.

Especificações Técnicas

  • Novo Pluria HTM - Aparelho de Carboxiterapia Percutânea e Transcutânea;
  • Tecnologia microcontrolada;
  • 01 canal de saída independente;
  • Possui controle de intensidade;
  • Opção de aquecimento do gás;
  • Opção de acionamento por pedal;
  • Modo: contínuo;
  • Fluxo de saída: 05 à 400 mL/min;
  • Volume: 05 à 400 mL ou opção free;
  • 30 protocolos pré-programados e possibilidade de gravar novos protocolos personalizados;
  • Potência de Entrada: 26VA - 50/60 Hz (100-230V).

Itens Inclusos

  • 01 Novo Pluria HTM - Aparelho de Carboxiterapia Percutânea e Transcutânea;
  • 01 Carrinho com rodízios;
  • 01 Mangueira para conexão;
  • 01 Pedal;
  • 01 Regulador de pressão;
  • 10 Equipos;
  • 01 Cabo de força;
  • 01 Kit Take One;
  • 01 Chave Fixa;
  • 01 Banner;
  • 10 Agulhas;
  • 01 Toalha.
  • Acessórios Opcionais (adquiridos separadamente):
  • Ventosa Carbo Cupping Pequena (ME0889A);
  • Ventosa Carbo Cupping Média (ME08947A;
  • Ventosa Carco Cupping Grande (ME07991A).

Ficha Técnica

Volume 400 ml/min
Protocolos30 Programados e possibilidade de programar novos
TerapiaCarboxiterapia
ModoContínuo
Canais01 Canal

Pesos e Medidas

  • Dimensões do produto
  • Dimensões (C x L x A)
  • 87.0 x 46.2 x 80.0 cm
  • Peso Kg
  • 21.8
  • Dimensões da embalagem
  • Dimensões Embalado (C x L x A)
  • 55.0 x 46.0 x 133.0 cm
  • Peso Embalado Kg
  • 24.0

Perguntas Frequentes

  • Um gás medicinal é um gás ou mistura de gases destinados a entrar em contato direto com o organismo humano para diagnóstico, tratamento ou profilaxia. O CO2 medicinal, trata-se de sua forma pura, contendo menos de 5% em volume de nitrogênio, argônio, hélio, oxigênio, hidrogênio, H 2 S ou CH 4.
  • Como a temperatura no interior do cilindro costuma ser próxima à 0ºC, é importante pré-aquecer o CO2 antes de sua infusão. A maior temperatura do gás, minimiza a sensação dolorosa durante a aplicação e contribui para uma maior vasodilatação.
  • O modo de infusão será conforme o objetivo do profissional, agindo de maneira superficial ou mais profundo. Mesoepidérmico ou dérmico superficial : 25º, Dérmico: 45º, Hipodérmico ou subcutâneo: 90º.
  • Ao injetar o gás carbônico (CO2 ) o organismo interpreta a ausência do oxigênio (O2 ) levando ao aumento da concentração de oxigênio tecidual, estimulando o metabolismo celular e promovendo melhora da circulação sanguínea. A entrada do gás no tecido provoca um processo inflamatório local, desencadeando reações bioquímica e resultando na ruptura da membrana das células de gordura, além disso estimula a produção de colágeno e elastina contribuindo para a melhora do aspecto da pele
  • Trata-se de um tratamento simples e rápido podendo ocasionar no momento da infusão do gás leve sensação de desconforto local de curta duração.
  • As sessões tem duração média de 30 minutos podendo variar de acordo com a região e tratamento escolhido.
  • Os resultados podem ser visíveis em horas ou semanas, tudo depende do tipo de alteração que está sendo tratada e da sua complexidade. Além disso a colaboração do paciente no seguimento das orientações dadas pelo profissional é fundamental.
  • O tratamento com o Pluria não altera sua rotina, podendo retornar a ela imediatamente após o tratamento.
  • Sim, é um equipamento confiável e seguro. O Pluria possui um software associado a um sensor de precisão que permite total controle dos parâmetros (volume, fluxo, pressão, volume total administrado). A carboxiterapia é um procedimento efetivo, reconhecido pela comunidade científica e deve ser executado por profissionais capacitados e habilitados; além disso, o paciente deve ser informado sobre o procedimento e as sensações esperadas durante o tratamento.
  • Sim, o Pluria possui um dispositivo que aquece o CO2 previamente à insuflação que diminui o desconforto do paciente, aumenta sua aderência ao tratamento, bem como potencializa os resultados, pois o gás frio causa a vasoconstrição, princípio contrário à ação desejada, ou seja, a vasodilatação, elevação do fluxo sanguíneo local e da oferta de O2.
  • O procedimento de drenagem do sistema deve ser feito sempre que instalar o cilindro de CO2 pela primeira vez, quando houver a recarga do mesmo, ou após a desconexão do cilindro por algum outro motivo.
  • Não, o cilindro deve ser adquirido separadamente, sugerimos a empresa White Martins.
  • O cilindro já carregado com o gás deverá ter o peso de 4,5Kg.
  • O gás utilizado é o dióxido de carbono USP medicinal com 99,99% de pureza.
  • Quando o ponteiro marcar 40kgf/cm2 providenciar a troca do cilindro.
  • A carboxiterapia transcutânea é uma técnica de aplicação de CO2 de forma tópica e não invasiva, sendo utilizadas ventosas de vidro que combinam o uso da pressão negativa (gerada na ventosa por meio de uma seringa) com a administração do gás no interior da ventosa, disponibilizando-o à superfície da pele.
  • Informações do Produto

    Descrição do Produto

    O Novo Pluria é um equipamento de Carboxiterapia com tecnologia inovadora e o novo sistema inteligente de Carboxiterapia Percutânea e Transcutânea. O que era bom ficou ainda melhor, o Novo Pluria possui Sistema Carbo Cupping, exclusivo para carboxiterapia não invasiva, onde utiliza-se ventosas de vidro associada aos efeitos do CO2, otimizando os resultados terapêuticos. Design clean e moderno, totalmente microcontrolado com controles de parâmetros digitais de fácil manuseio e programação. Apresenta sistema conforto e aquecimento progressivo do gás. Conta ainda com os protocolos pré-programados em display gráfico "Chip on Glass", teclas soft touch e saídas frontais de fácil aceso. O Novo Pluria, conta com 30 protocolos pré-programados e disponibiliza a possibilidade de salvar protocolos personalizados, o que facilita e otimiza o tempo do profissional no momento do atendimento ao seu cliente, podendo deixar seus atendimentos ainda mais personalizados. O equipamento Novo Pluria da HTM conta com tecla DRAIN, que permite que o usuário realize ciclo de drenagem do sistema ou equipo sem necessidade de reiniciar o equipamento. A HTM pensando no melhor para seus clientes melhorou o que já era bom, com o "Sistema Conforto", protocolo que administra a entrega do gás de modo lento e crescente, até atingir o volume desejado, maximizando o conforto do paciente na terapia, tudo isso com a facilidade e comodidade de acionamento do gás via tecla ou pedal, facilitando o manuseio. Possui sistema de autocontrole de fluxo de CO2 em tempo real que, independente da resistência oferecida pela pele no momento da infusão do gás, garante a entrega efetiva do volume desejado. Acompanha carrinho com rodízios para acomodar o cilindro de CO2 e facilitar a locomoção e estabilização.

    Diferenciais e Benefícios

    • Inovação: possibilidade de aplicar a técnica percutânea e transcutânea;
    • Carbo Cupping: ventosas que permitem a aplicação da carboxiterapia transcutânea não invasiva (itens adquiridos separadamente);
    • Gás aquecido: aquecimento progressivo do gás, conforme o fluxo de aplicação, proporcionando maior conforto do início ao fim do tratamento; 
    • Controle de fluxo: fluxo de até 400ml/min regulável, proporcionando agilidade nos tratamentos;
    • Sistema conforto: protocolo que administra a entrega do gás de modo lento e crescente, até atingir o volume desejado, maximizando o conforto do paciente na terapia;
    • Sistema de autocontrole de fluxo: de CO2 em tempo real que, independente da resistência oferecida pela pele no momento da infusão do gás, garante a entrega efetiva do volume desejado;
    • Design: revolucionário, oferecendo à sua clínica um visual estético totalmente diferenciado, teclas soft touch em relevo e display gráfico "Chip on Glass", para operação e visualização dos parâmetros de operação;
    • Tecla DRAIN: permite que o usuário realize ciclo de drenagem do sistema ou equipo sem necessidade de reinício do equipamento;
    • Praticidade: acionamento do gás via tecla ou pedal, facilitando o manuseio;
    • Versátil: permite configuração de idioma (português, inglês e espanhol);
    • Protocolos: 30 protocolos pré-programados e possibilidade de salvar protocolos personalizados;

    Indicações

    • Celulite;
    • Estrias;
    • Gordura localizada;
    • Redução de papada;
    • Flacidez cutânea;
    • Rejuvenescimento facial;
    • Rugas e Linhas de expressão;
    • Olheiras;
    • Cicatrizes de acne;
    • Pré e Pós-operatório;
    • Alopecia;
    • Psoríase;
    • Melhora da microcirculação, redução do edema;
    • Melhora a nutrição celular e a eliminação das toxinas.

    Efeitos fisiológicos

    • Efeito Bohr
    • Quanto maior a oferta de gás carbônico no tecido, mais hemoglobinas carreadas com o oxigênio (HbO2) vão chegar através da circulação sanguínea, pelo fato da hemoglobina ter maior afinidade com a molécula de CO2, ocorre a liberação da molécula de O2 para os tecidos e captação da molécula de CO2 que será transportada e eliminada pela expiração, isso caracteriza o efeito Bohr. A afinidade da hemoglobina pelo oxigênio depende do pH do meio, a acidez estimula a liberação de oxigênio diminuindo assim esta afinidade. O meio ácido gerado pela carboxiterapia favorece a afinidade da hemoglobina com a molécula de gás carbônico. A presença de níveis mais altos de CO2 (proporcionada pela carboxiterapia) e íons H+ potencializam as reações químicas que ocorrem dentro dos eritrócitos e consequentemente o aporte de O2 tecidual.
    • Ação bioquímica
    • Com a infusão do gás, ocorre uma distensão tecidual e estímulo dos barorreceptores, corpúsculos de Golgi (sensível as baixas pressões) e de Pacini (altas pressões) e, consequente, a liberação de substâncias "algógenas", dentre elas, bradicinina, catecolamina, histamina e serotonina. Estas substâncias atuam em receptores beta-adrenérgicos ativando a adenilciclase e promovendo assim aumento do AMPc tissular e consequente ação final hidrolítica sobre o triglicerídeo do adipócito.
    • Vasodilatação
    • A resposta inflamatória diante de uma “agressão” física é imediata e atua no sentido de destruir, diluir ou bloquear o agente agressor, mas, por sua vez, desencadeia uma série de eventos no tecido conjuntivo vascularizado, entre elas, o aumento da permeabilidade capilar e a quimiotaxia. A presença da histamina gerada pelo aumento de mastócitos na região, propicia uma maior resposta vasomotora devido a sua ação direta no músculo liso e no endotélio da parede vascular. A elevação numérica das plaquetas é responsável pelo aumento de secreção de serotonina que por sua vez estimula a proliferação de pequenos vasos sanguíneos pela ativação das enzimas, óxido nítrico sintase e proteína quinase. O CO2 também estimula a produção das prostaglandinas, potentes vasodilatadores, cuja ação envolve arteríolas pré-capilares, esfíncters pré-capilares e vênulas pós-capilares.
    • Ação no tecido conjuntivo
    • Após a ação mecânica da carboxiterapia, provocada pelo “trauma” da agulha e pela introdução do gás, ocorre a produção de um processo inflamatório e consequente migração de fibroblastos para a região da agressão e sua posterior proliferação estimulando a síntese de colágeno e de outras moléculas do tecido conjuntivo, como a fibronectina, glicoproteína encontrada no sangue, associada a vários processos biológicos como adesão e diferenciação celular, reparação de tecidos, servindo como substrato para enzimas fibrinolíticas e da coagulação.
    • Carbolipólise
    • A ruptura mecânica da membrana adipocitária se realiza em duas etapas. A primeira, mais aguda, denominada efeito trauma, acontece imediatamente à infusão do CO2 , fragilizando a membrana citoplasmática pela intensidade do impacto do gás contra a parede do adipócito. A segunda etapa, mais tardia e prolongada, denomina-se efeito microcavitação, podendo perdurar algumas horas após a aplicação. A diminuição do pH que se instala pela aplicação, dilata os poros da membrana citoplasmática, permitindo a entrada do gás no interior do adipócito. A alta pressão do CO2 no meio extracelular e seu aumento gradual no interior do adipócito, provocam o turbilhonamento do gás, gerando um efeito de microcavitação. A distensão progressiva da membrana citoplasmática, somada ao efeito microcavitatório, leva à sua ruptura. Para ocasionar o efeito trauma e o efeito microcavitação é necessário regular o fluxo de infusão do gás em maior velocidade.

    Associações terapêuticas

    • Vibria: possui ultrassom de alta potência, otimiza as funções de lipólise e ativação do sistema linfático, prevenção de complicações como fibroses e aderências teciduais, sistema de correntes excitomotoras, com a opção de realizar terapias combinadas com o Ultrassom ou individuais.
    • Limine: a aplicação da radiofrequência causa vasodilatação, melhorando a circulação sanguínea e linfática, aumenta a síntese de colágeno e elastina, tratando a flacidez tissular, associada a carboxiterapia potencializa o resultado.
    • Terapia Manual: auxilia na ativação de tecido, melhora o aporte sanguíneo ativando a circulação, melhorando força tensiva e flexibilidade.

    Protocolos

    • Tratamento de Gordura Localizada
    • Volume por ponto de 80 a 150 ml
    • Fluxo até 80ml/min, (conforme suportabilidade da cliente)
    • Agulha a 45º e 90º graus
    • Cada ciclo: 10 sessões em 02 etapas
    • Ciclo 01 dividido em 02 etapas
    • 01ª Etapa: 04 sessões com intervalos de 24 horas
    • 02ª Etapa: 06 sessões com intervalos de 72 horas
    • Ciclo 02:  após 30 dias repetir ciclo 01
    • Ciclo 03: após 06 meses repetir ciclo 01
    • Tratamento de Rejuvenescimento Facial
    • 01 ou mais ciclos
    • 05 a 10 sessões
    • Intervalos 72 horas
    • Flacidez moderada à severa: 80 a 150 ml/min
    • Flacidez leve: 40 a 60 ml/min
    • Agulha a 25º 
    • Tratamento de olheiras 
    • 2 ou mais ciclos
    • 10 sessões
    • Intervalos 72 horas
    • Repetidos com intervalos de 120 dias
    • Agulha a 25º
    • A sugestão de parâmetros não substitui a avaliação do profissional.

    Informações Adicionais

    • A carboxiterapia constitui-se de uma técnica onde utiliza o gás carbônico medicinal (Dióxido de Carbono ou CO2), administrado de forma percutânea (invasivo, com agulha) ao tecido subcutâneo, tendo como objetivo uma vasodilatação periférica e melhora da oxigenação tecidual;
    • O uso terapêutico do CO 2 teve início na década de 1930, na Estação Termal de Royat, na França. Seu uso era feito de forma transcutânea (não invasiva, tópica) através de banhos secos ou submersão em água carbonada para o tratamento de feridas e arteriopatias. Após o desenvolvimento de novas técnicas, a aplicação deixou de ser tópica, passando o CO2 a ser injetado diretamente no tecido subcutâneo, o que garante resultados mais rápidos e melhores. Originou-se assim, o termo carboxiterapia, ou seja, utilização do dióxido de carbono, o CO2, um metabólito normalmente produzido em nosso organismo para fins terapêuticos;
    • A carboxiterapia transcutânea é uma técnica de aplicação de CO2 de forma tópica e não invasiva, sendo utilizadas ventosas de vidro que combinam o uso da pressão negativa (gerada na ventosa por meio de uma seringa) com a administração do gás no interior da ventosa, disponibilizando-o à superfície da pele;
    • As aplicações transcutâneas possibilitam a absorção do CO2 através da pele, isso acontece por conta das capacidades hidrofílicas e de alta lipossolubilidade do gás, que quando em contato com a pele é facilmente absorvido, promovendo seus efeitos fisiológicos principalmente sobre a microcirculação periférica. Além disso, por meio da pressão negativa gerada dentro das ventosas, também é possível considerar os efeitos fisiológicos da vacuoterapia sobre a microcirculação periférica;
    • Atualmente a carboxiterapia caracteriza-se num método de fácil execução e vem sendo empregada na área estética (gordura localizada, celulite, flacidez e estrias) além se ser utilizada como coadjuvante no tratamento de cicatrizes inestésicas, em casos de pós-lipoaspiração, alopecias, olheiras, sequela de queimados etc.

    Conservação

    • Para limpar o equipamento e seus acessórios, utilize um pano seco;
    • Não armazene o equipamento em locais úmidos ou sujeitos a condensação;
    • Não armazene o equipamento em ambiente com temperatura superior a 60ºC ou inferior a -20ºC;
    • Não exponha o equipamento direto aos raios de sol, chuva ou umidade excessiva;
    • Se houver necessidade de transportar o equipamento, utilize o mesmo processo de embalagem utilizado pela HTM Eletrônica. Procedendo desta forma, você estará garantindo a integridade do equipamento.

    Contraindicações

    • Gestantes;
    • Insuficiência cardíaca ou insuficiência respiratória;
    • Insuficiência renal e hepática;
    • Diabéticos;
    • Problemas psicológicos;
    • Epiléticos;
    • Hipertensos descompensados;
    • Lúpus eritematoso sistêmico;
    • Pacientes imunodepressivos;
    • Anemia grave;
    • Tromboflebite aguda;
    • Distúrbios da coagulação;
    • Doenças do colágeno;
    • Circulação local aumentada anormalmente;
    • Rosácea facial;
    • Doenças infecciosas (bacterianas, virais, fúngicas);
    • Uso de medicamentos diuréticos, betabloqueadores, anticoagulantes e hipotensores neoplasia local.

    Especificações Técnicas

    • Novo Pluria HTM - Aparelho de Carboxiterapia Percutânea e Transcutânea;
    • Tecnologia microcontrolada;
    • 01 canal de saída independente;
    • Possui controle de intensidade;
    • Opção de aquecimento do gás;
    • Opção de acionamento por pedal;
    • Modo: contínuo;
    • Fluxo de saída: 05 à 400 mL/min;
    • Volume: 05 à 400 mL ou opção free;
    • 30 protocolos pré-programados e possibilidade de gravar novos protocolos personalizados;
    • Potência de Entrada: 26VA - 50/60 Hz (100-230V).

    Itens Inclusos

    • 01 Novo Pluria HTM - Aparelho de Carboxiterapia Percutânea e Transcutânea;
    • 01 Carrinho com rodízios;
    • 01 Mangueira para conexão;
    • 01 Pedal;
    • 01 Regulador de pressão;
    • 10 Equipos;
    • 01 Cabo de força;
    • 01 Kit Take One;
    • 01 Chave Fixa;
    • 01 Banner;
    • 10 Agulhas;
    • 01 Toalha.
    • Acessórios Opcionais (adquiridos separadamente):
    • Ventosa Carbo Cupping Pequena (ME0889A);
    • Ventosa Carbo Cupping Média (ME08947A;
    • Ventosa Carco Cupping Grande (ME07991A).

    Ficha Técnica

    Volume 400 ml/min
    Protocolos30 Programados e possibilidade de programar novos
    TerapiaCarboxiterapia
    ModoContínuo
    Canais01 Canal

    Pesos e Medidas

    • Dimensões do produto
    • Dimensões (C x L x A)
    • 87.0 x 46.2 x 80.0 cm
    • Peso Kg
    • 21.8
    • Dimensões da embalagem
    • Dimensões Embalado (C x L x A)
    • 55.0 x 46.0 x 133.0 cm
    • Peso Embalado Kg
    • 24.0

    Perguntas Frequentes

  • Um gás medicinal é um gás ou mistura de gases destinados a entrar em contato direto com o organismo humano para diagnóstico, tratamento ou profilaxia. O CO2 medicinal, trata-se de sua forma pura, contendo menos de 5% em volume de nitrogênio, argônio, hélio, oxigênio, hidrogênio, H 2 S ou CH 4.
  • Como a temperatura no interior do cilindro costuma ser próxima à 0ºC, é importante pré-aquecer o CO2 antes de sua infusão. A maior temperatura do gás, minimiza a sensação dolorosa durante a aplicação e contribui para uma maior vasodilatação.
  • O modo de infusão será conforme o objetivo do profissional, agindo de maneira superficial ou mais profundo. Mesoepidérmico ou dérmico superficial : 25º, Dérmico: 45º, Hipodérmico ou subcutâneo: 90º.
  • Ao injetar o gás carbônico (CO2 ) o organismo interpreta a ausência do oxigênio (O2 ) levando ao aumento da concentração de oxigênio tecidual, estimulando o metabolismo celular e promovendo melhora da circulação sanguínea. A entrada do gás no tecido provoca um processo inflamatório local, desencadeando reações bioquímica e resultando na ruptura da membrana das células de gordura, além disso estimula a produção de colágeno e elastina contribuindo para a melhora do aspecto da pele
  • Trata-se de um tratamento simples e rápido podendo ocasionar no momento da infusão do gás leve sensação de desconforto local de curta duração.
  • As sessões tem duração média de 30 minutos podendo variar de acordo com a região e tratamento escolhido.
  • Os resultados podem ser visíveis em horas ou semanas, tudo depende do tipo de alteração que está sendo tratada e da sua complexidade. Além disso a colaboração do paciente no seguimento das orientações dadas pelo profissional é fundamental.
  • O tratamento com o Pluria não altera sua rotina, podendo retornar a ela imediatamente após o tratamento.
  • Sim, é um equipamento confiável e seguro. O Pluria possui um software associado a um sensor de precisão que permite total controle dos parâmetros (volume, fluxo, pressão, volume total administrado). A carboxiterapia é um procedimento efetivo, reconhecido pela comunidade científica e deve ser executado por profissionais capacitados e habilitados; além disso, o paciente deve ser informado sobre o procedimento e as sensações esperadas durante o tratamento.
  • Sim, o Pluria possui um dispositivo que aquece o CO2 previamente à insuflação que diminui o desconforto do paciente, aumenta sua aderência ao tratamento, bem como potencializa os resultados, pois o gás frio causa a vasoconstrição, princípio contrário à ação desejada, ou seja, a vasodilatação, elevação do fluxo sanguíneo local e da oferta de O2.
  • O procedimento de drenagem do sistema deve ser feito sempre que instalar o cilindro de CO2 pela primeira vez, quando houver a recarga do mesmo, ou após a desconexão do cilindro por algum outro motivo.
  • Não, o cilindro deve ser adquirido separadamente, sugerimos a empresa White Martins.
  • O cilindro já carregado com o gás deverá ter o peso de 4,5Kg.
  • O gás utilizado é o dióxido de carbono USP medicinal com 99,99% de pureza.
  • Quando o ponteiro marcar 40kgf/cm2 providenciar a troca do cilindro.
  • A carboxiterapia transcutânea é uma técnica de aplicação de CO2 de forma tópica e não invasiva, sendo utilizadas ventosas de vidro que combinam o uso da pressão negativa (gerada na ventosa por meio de uma seringa) com a administração do gás no interior da ventosa, disponibilizando-o à superfície da pele.